terça-feira, janeiro 06, 2009

Amor Eterno


Um dia destes, para provar que o amor podia ser eterno, um grupo de jornalistas foi até à rua entrevistar elementos de casais idosos.

Recordo esta resposta que, por sinal, não diferiu muito das outras:

- Depois de tantos anos, ainda ama a sua mulher?

-Claro que sim, sempre amei.

-Mas ainda ama como no início?

-Sim, sim… Mulher trabalhadora, limpa e asseada, ….tem que ser.


É impressão minha, ou estas qualidades são as duma boa empregada doméstica? :(

Será que o Homem um dia vai evoluir, ou foi o castigo que Deus deu a Eva ? _ Alguém que nunca conseguirá partilhar a sua linguagem.

19 Comentários:

Blogger Laura disse...

É isso que tento incutir no cérebro da minha filha, mas, como sempre e como todas, dará um mau passo amanhã... e eu que casei duas vezes (mas que ganda burra, se eu o fiz aos 35 pela segunda vez, porque não o fará ela ?) bem,s empre terei uma 3ª para me penitenciar, ehhhhhhh, só agora abri os olhos e claro, mais vale tarde que nunca... Qual amor qual amar? ahhh criadas grátis, um lote que nunca se acaba! Beijinhos.

6/1/09 11:25 da tarde  
Blogger Roderick disse...

ahahahahah.
Resposta à Portuga do outro século!
ahahahah

7/1/09 8:42 da manhã  
Blogger Roderick disse...

Acho que vou fazer uma historinha com este tema!
beijos

7/1/09 8:43 da manhã  
Blogger L.S. Alves disse...

Fez-me pensar. Creio que as mulheres também dariam respostas parecidas.
.
Pergunto; e os casamentos que não duram? Será que faltava a esposa essas qualidades?
.
Um abraço moça. Se quiser me mandar um e-mail eu agradeço. Assim evita de perder-mos o contato quando você se ausentar da blogosfera.

7/1/09 10:22 da manhã  
Blogger Carlos II disse...

Como dizia Agostinho da Silva, "O Pensamento deve andar à solta". Em Portugal isso ainda não é assim.

Nós temos medo de pensar, de nos questionar. Olhar para dentro de nós. Descobrir os nossos buracos negros e que isso passe ao nosso consciente.

É chato ler, filosofar, ouvir os outros. Preocupados que estamos com a nossa vidinha, é certo, mas também por conceitos adquiridos nestes últimos tempos. O ser participante no espectáculo e na diversão e sobretudo sonhar. Pronto, não custa nada.

E porque as pessoas não pensam, não possuem o treino de questionar, acerca desses itens, por exemplo, que a Ahlka escreve, têm dessas respostas lapidares. Que foram adquiridas, ou que se inscreveram (lembras-te?) como valores do tempo da ditadura do Estado Novo, ou seja, uma casa arrumadinha, humilde, com o homem honrado e trabalhador e a mulher em casa, limpa e asseada.

Não gosto de dizer que as pessoas são ignorantes, mas são de uma falta de raciocínio impressionante.

Vou por uma pedra no assunto.

Beijinho

7/1/09 1:53 da tarde  
Blogger Carlos II disse...

Ah, é verdade.
Quanto ao tema, hummmmm...deixa cá ver. Acho que é tudo muito passageiro, pelo menos entre homem e mulher.

Aposto que não é desta que vou levar porrada da Alhka.

7/1/09 2:04 da tarde  
Blogger Pascoalita disse...

Menina, já não morremos hoje!

Ainda esta manhã referia exactamente isso à africana, pois também assisti indignada à tal entrevista de rua.

Faltou incluires uma das respostas "boa dona de casa" eheheh

Lembro-me que me fartei de refilar a olhar para a cara convencida de um dos entrevistados, dizendo mais ou menos assim:

- Claro! Amor eterno é isso mesmo ... certamente a tua mulher está a cuidar da casa, a lavar a tua roupa, a fazer-te a janta, etc. enquanto o "brugesso" está repimpado na esplanada a jogar as cartas com os amigos ... ora aí está um belo exemplo!!!

Lembro-me ainda de ter comentado com o meu manel que até hoje só conheci um caso de amor eterno ... o casal "João e Sofia" pais da nina africana.

E não concordo nada que sejam respostas à seculo passado. Infelizmente acredito que idênticas respostas serão eventualemnte obtidas daqui a 50 anos, se for o caso.

O homem, e nisso nós mulheres temos muita culpa, ainda tem muito que aprender.

Bom tema este, menina :))

7/1/09 5:23 da tarde  
Blogger Ahlka disse...

Laura, como diz o Carlos dos is, é uma coisa que se foi inscrevendo nas nossas mentes, foram muitos anos, está gravado muito fundo, serão necessários também muitos anos para mudar.

Roderick,...Do século passado e de muitos outros para trás...Quantos serão necessários para apagar essa memória? Porque, mesmo quem hoje responde como tu, lá no fundo, bem lá no fundo, tem sequelas desses séculos todos.
Fico à espero da historinha.. :)

L.S.Alves, Uma mulher a dizer que ama o marido pq é trabalhador, asseado e limpo? Hehehe...Boa piada!
Penso que os casamentos que não duram, acontecem porque os seus elementos se recusam a representar um papel imposto pela sociedade. Muitos casamentos que conheço não passam de co-habitação, ou duma espécie de sociedade comercial....Bem, estou a falar dos que não duram! :)))

Carlos, como sempre, vem a voz do bom senso. Claro que lembro da inscrição, "tãu nã havia dálembrar"?
Vim práqui dizer mal do filósofo, e afinal ele até percebe umas coisas ;)
Será então, que se podia considerar também o casamento como uma forma de inscrição?

Pascoalita, eu nem consegui reagir, só esbocei um sorriso incrédulo.
Claro que temos culpa, mas foi a educação que nos deram, é o modelo que vemos.
Por acaso, fujo um bocado á regra, mas tenho noção que também carrego o peso de ser mulher :)

7/1/09 11:14 da tarde  
Anonymous mary90 disse...

Boa noite.
Aqui está um tema que apetece comentar.
Eu acredito no amor eterno e felizmente conheço alguns casos uns de família e outros de conhecidos.
Um casal amigo que está casado há 56 anos andam sempre juntos para todo o lado, ele vai levá-la ao cabeleireiro e ao despedir-se com um beijo até parece que vai para longe chamam querido um ao outro, e quando perguntei a ele o segredo do casamento deles ele respondeu, a Luísa é a mulher da minha vida sempre lutou ao meu lado é a melhor mulher do mundo, e o principal é o amor esse quando é verdadeiro dura a vida toda, liiindo.
Ele disse é a mulher da minha vida, não disse ela é a melhor cozinheira ou limpa bem a casa.
A mulher que tiver a sorte de ter um homem que lhe diga isto é uma felizarda....
Mas a verdade é que a maioria dos homens acha que a mulher é para cozinhar e arrumar a casa e, apesar de terem mulheres maravilhosas nunca lhe dão o valor.
Continuo a achar que os casamentos podiam ser mais felizes se os homens dessem mais valor as mulheres que têm e as ajudassem mais e elogiassem.
Eu gostava de ouvir a resposta á mesma pergunta mas feita as mulheres.
Beijocas.

7/1/09 11:36 da tarde  
Blogger Adryanna disse...

Um tema interessante!
Também assisti, na TV, às perguntas de rua e para além da raiva que me provocou, pensei como responderia à mesma pergunta:

- Um marido que não me cria problemas, pai dos meus filhos, o homem com quem partilho o tecto há décadas, em suma uma situação confortável ... eis como traduziria o meu "casamento duradouro" eheheh

8/1/09 9:14 da manhã  
Blogger Rafeiro Perfumado disse...

Eu ficaria admirado é se um dos velhotes respondesse "claro que continuo a gostar dela, é um autêntico vulcão na cama! Pena é agora só sair a parte do enxofre..."

8/1/09 9:37 da manhã  
Blogger Laura disse...

Ahhh o rafeirito disse tudo de uma assentada... Parabéns ó meu amigo...adorei e claro que tudo se queixa do enxofre nos mais velhos, até no autocarro, metro, etc etc, mas, coitados, a botija deve estar cheia e pronto..amanhã seremos nós..espero que para mim, esse dia ainda venha longe...

Ahhh, repito, por dizer e escrever o que penso, já me chamaram adúltera... e claro que nunca fui, nem me ralo que me chamem isso, sou mais decente do que muitas que se intitulam mulheres honestas!...

Mas a uma coisa não fujo de dizer; os ccasamentos estão fora d emoda, já deviam estar ultrapassados, o melhor seria quando não estivessemos satisfeitos (desculpem lá a treta de termos os filhos pra criar, bolas, muitos ficam na mesma sem pai para os ajudar a criar) e a maioria, eu incluida, não saimos porta fora e recomeçamos novas relações, porque somos cobardes e mais nada...O amor devia ser livre. O homem devia deixar a mulher ser livre e vice versa, quando virem que não existe amor nem atração nenhuma, o que ficamos a fazer que nem múmias a continuar na criadagem? bah...
Ignorância sim, como diz o carlitos, mas os homens com ordenado e a smulheres com menos ou nada, não podem simplesmente sair porta fora e irem vive rna rua... Já deu pra ver que uma boa relação funciona na base de; eu aqui na minha casa e tu na tua!... e que belo será o amor de novo...nada se sabe sem tentar!...

E quando não dá..cada um deixe-se estar como está e viva a alegria do amor fora de portas..e em casa continua a ser a criada se isso lhe convier, mas o bom da coisa seria, ah, amor lá fora, jantares românticos (pô que ficamos caras ehhh) saidas a dois, não saimos já sozinhas e com as amigas? bem, é mais uma noitada em casa de uma amiga, so que seria com o novo amigo..ehhhh chamem-me adúltera se quiserem, mas é assim que penso, sou livre de mente, lembram-se? sempre fui!... Alkinha, que negócia esta laurinha... beijinhos.

8/1/09 11:43 da manhã  
Blogger Carlos II disse...

Sim, Alhka,

Os casamentos, acho que se inscreve naquilo que o filósofo referiu. Por isso é que virou instituição, porque se inscreveu nas pessoas como um determinado estado civil a prosseguir.

Laura, querida, é isso mesmo. Eu até defendo a bigamia. Mas não me venham dizer que isso acabava com a prostituição, mas sim com a constelação de infidelidades que proliferam por aí.

8/1/09 1:26 da tarde  
Blogger Laura disse...

Carlitos; refiro-me a que; quando o amor vira mais lataria e emprego, que amor, quando um dos parceiros deixa de ser o que era e a lua de mel se acaba e não há volta a dar-lhe!...fora... assim sim. Haja coragem para mudar... Não, não nos referimos a ser porstitutas ou (os) não, referimo-nos a que todos deviamos saber o que é o amor e vivê-lo intensamente e, como não há amor que dure, não mesmo, é uma minoria desgraçada, essa de ter o amor por toda a vida, e imaginem como seria maravilhoso a cada novo amor que surgisse, ser sempre feliz...Acabaria, claro, mas outro haveria, ah, santa mordomia de viver os anos que me restam recheada de amor!...ahhhh, era néra?
Todos somos livres e viemos para se rlivres, mas, a maioria do homem com o seu sentidod e pertença, a sua forma de estar na vida, ele pode, ele tem amantes, pois é, é bom. Se gostam, façam isso, mas deixem a mulher se rlivre também, livre e ter os seus amados amantes, já me estão a chamar de quê? ahhh sinto-o, mas é a forma mais maravilhosa que já vi e senti, viver em estado de graça, apaixonados, seria o melhor da vida!...
Não, ainda não tive amantes, agora também acho que já se fez tarde, ehhhhhhhh, a beleza foi-se e o homem gosta de ver tesouros por fora e pouco se importa com o que a mulher tem por dentro...
Mas, arrisquem, lutem, a felicidade não é uma utopia, ela existe, só não sabemos onde..procurem-na pois!...Um beijinho da laura.

9/1/09 8:58 da manhã  
Blogger Pascoalita disse...

As pessoas estão cada vez mais individualistas e é cada vez mais manter-se difícil manter-se uma relação seja de que tipo for.

O Amor, a Paixão, a química ou seja lá o que lhe chamarmos só mantém a chama acesa enquanto cada um se sente livre, descomprometido.

A partir do momento que se torne um dever, ou que sentimos cobrança por parte de um ou que de alguma forma sentimos "amarras", tudo muda.

É por isso que actualmente muitos casais não abdicam de ter o seu cantinho, optando por partilharem apenas os bons momentos sem interferirem no espaço um do outro.

11/1/09 6:03 da tarde  
Blogger Pascoalita disse...

É errado pensar-se que as relações não duram porque um dos Elementos mudou consideravelmente de atitude ... a mudança pode nem existir, ou ela dá-se igualmente em ambos.

As nossas expectativas é que são sempre demasiado elevadas e quando estamos enamorados a ilusão faz-nos ver a outra pessoa de modo diferente do que é na realidade. Vêmo-la como queremos que seja!

Acredito que a decepção é sentida pelos 2 lados.

11/1/09 6:09 da tarde  
Blogger Teté disse...

Olha, nem sei quem é mais parvo: se o jornalista que anda a fazer essas entrevistas de rua, se o velhote que respondeu dessa maneira...

Certo é que ainda há muito caminho para andar, antes de a maioria dos homens portugueses ver as suas mulheres como escravas para todo o serviço!

Acredito no amor eterno, mas a verdade é que inclui também infinitas doses de paciência, de parte a parte, que ninguém é perfeito! E nem todos têm muita...

Jinhos, nina!

11/1/09 6:52 da tarde  
Blogger Laura disse...

Amor eterno? hum, fala quem tem muitos anos de vida e de experiência...amor? mas o que é o amor? é isso que o homem disse, que a casa tava arrumada e blá blá..e ela que diria?..ó valha-me!...Se mais de metade da população não sabe o que é o amor, o verdadeiro, o tal que faz faisca, enfim..eu que sou eu ainda nem dei de caras com ele, ou seja; enganei-me..petas pois e a culpa é nossa...sempre.. Beijinhos.

12/1/09 10:55 da tarde  
Blogger Ahlka disse...

Mary90, acredito que a mulher também desse uma resposta do tipo "não me comprometo muito", ou seja " homem de trabalhor,amigo da família blá blá blá.." no fundo ninguém é perfeito.

Adryanna, és o exemplo da resposta que dei à Mary, essa resposta também não é muito entusiasmante para um homem ouvir :)

Rafeirinho, também não se pretendia tanto...Ao menos que ficasse algum carinho no ar. :p

Laura, engraçado o teu modelo, talvez tenhas alguma razão, mas só alguma.

Pascoalita, cá prra mim andaste-me a ler o pensamento ;))

Teté, és uma das poucas a acreditar no amor eterno, no fundo também acredito e deixei-me comover com o filme 'diário da nossa paixão'.

Penso que vou rematar este tema com o relato duma cena do filme 'Diário da nossa paixão'. O marido visita diariamente a mulher, com ahlzeimer (ou algo parecido), internada num lar, e lê-lhe o diário dela, ela gosta de ouví-lo mas não o reconhece. Numa cena, os filhos perguntam ao pai por que continua ele a visitar a mãe se ela já nem sabia quem ele é, ao que ele respondeu " Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é".

Para mim Amor é isso, penso que não devemos confundir paixão com amor, a paixão vai, o amor fica e revela-se em pequenas ou grandes coisas.

18/1/09 6:19 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial